segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Leis que regem o Mundo Espiritual


LEIS QUE REGEM O MUNDO ESPIRITUAL
Pr. Emerson Ferrel

A vida que conhecemos no mundo natural é regida por leis espirituais. Estamos sujeitos a estas leis desde o ventre da nossa mãe. Dentro do ventre passamos a nos submeter às leis naturais como respirar, depois que nascemos passamos a enxergar, precisamos de comida, temos que obedecer também às leis físicas, governamentais, sociais, etc.
Assim como existem leis naturais, governamentais, sociais, físicas, também existem leis espirituais, o problema está que nossa mente acostumou-se com as leis naturais, passamos a pensar racionalmente, nossos 5 sentidos são treinados desde cedo a absorver as coisas naturais por isso passamos a ser infrutíferos espiritualmente.
A bíblia difere do natural em muitas coisas, a bíblia passa a ser algo frustrante e distante, pois são coisas que ouvimos, lemos mais não conseguimos sequer chegar perto do que lemos.
Nossa tarefa como líderes e como igreja é encontrar o propósito que Deus separou para cada um que se achega a nós. Deus levanta os 5 ministérios para que a tarefa de descobrir quais são estes papéis se torne mais fácil e eficaz. As pessoas precisam ser preparadas e colocadas nos papéis nos quais o Senhor as chamou, e fazer o que o Senhor deseja e não nossa vontade e nosso desejo.
Ec 9.18sabedoria melhor que as armas de guerra

  • Leis e Princípios que ajudam servir melhor ao Senhor:
1a Lei – SEMEADURA E COLHEITA
Na parábola do semeador podemos ver que existem coisas que são semelhantes e outras que se diferem. Aquele que semeia é o mesmo, assim como a semente é a mesma, o que difere é o terreno, o solo no qual a semente vai cair.
Obs: entre 1994 e 1995 começou-se a falar e praticar a batalha espiritual, com isso levantaram-se muitos intercessores que na verdade não foram chamados para isso e muitos tiveram grandes conseqüências espirituais.
GN 1 colheita tem a ver com o que plantamos, a semente é igual ao fruto, o que eu planto eu colho.
O mesmo ensino, a mesma palavra pode provocar mudanças incríveis em uma pessoa e em outras simplesmente não causar nenhum efeito, o que diferencia é o terreno em que esta palavra vai cair.
IMPARTIR – sair de dentro de mim, receber ou dar algo na mesma medida e na mesma proporção da qual recebi, não é conquista própria, é algo que recebo.
A base do discipulado é a reprodução, é reproduzir aquilo que eu sou, por isso o risco que corremos quando queremos colocar pessoas que ainda estão precisando de cura e libertação e que são imaturas para discipular. Maior exemplo disso é Jesus que escolheu 12 entre muitos para pessoalmente discipular, passando a sua fé, seu plano, seu caráter, sua missão por três anos e meio. O discipular não é somente transmitir a palavra, não está somente no campo de ouvir e ver e sim está em trabalhar no caráter, o trabalho de Deus está principalmente em moldar o caráter. Ser discípulo necessita de tempo, passar tempo junto, investimento de tempo, necessita intimidade, discípulo é aquele em que se pode confiar, aquele que confia em Deus e não em nós e muito menos em si próprio.
Quando falamos de terreno estamos falando do caráter e quando falamos de caráter estamos automaticamente falando da nossa alma, o caráter está na esfera da alma.
Os maiores problemas que tenho hoje, não são porque vivi algo que me traumatizou, ou algo que me feriu, mas sim como o meu caráter foi formado, e este não é formado de um dia para o outro e nem curado de um dia para outro, leva-se tempo. O equilíbrio, o correto, vem do caráter transformado, quando este está tratado podemos discernir o que é correto.
Obs: o homem dentro de si tem o desejo de ser reconhecido, e isto sempre está na esfera do ego.
Pessoas que não funcionam bem em momentos de tensão e pressão, não estão preparadas e não tem como servir.
NINROD – Espírito de caçador, é um principado liberado para perseguir aqueles que descobrem qual a sua identidade em Cristo.
Nós não temos conhecimento da infância de Jesus porque o próprio Jesus precisou fugir deste principado até que Ele estivesse pronto para manifestar o seu ministério.
Existe um tempo determinado em que o nosso ministério é manifesto através dos frutos que damos e manifestamos, assim que isto é aparente e como a exercer o ministério consciente automaticamente este demônio é liberado para que eu seja provado, no caso de Jesus foi aos 30 anos.
Como saber que é chegado o tempo de manifestar aquilo pelo qual eu fui chamado?
Não sou eu quem determina o tempo de exercer o ministério, é necessário que antes de ter um título, uma posição na igreja eu manifeste os frutos deste ministério e as pessoas que estão ao meu redor que enxergam estes frutos, que vão saber qual o ministério que Deus determinou para mim.
O próprio ministério de Jesus teve que passar por este processo, precisou que fosse revelado por outro pelos frutos; a primeira pessoa a fazer isto foi João Batista e logo em seguida Jesus foi levado ao deserto para ser tentando por 40 dias e depois disto Jesus continuou a manifestar os frutos daquilo que veio para realizar e estes eram vistos por seus discípulos. De nada valem os títulos que temos se a igreja não vir os frutos pois não é o título que me dá autoridade, não é o título de pastor, de apóstolo, de mestre que me dá autoridade sobre os enfermos, sobre as trevas, etc.
Se me manifestar antes do tempo, ou me colocar em uma posição na qual não fui chamado estou sujeito a tribulações e situações de grande exposição espiritual, sujeito a grandes tribulações, pois tudo o que fazemos para o Reino de Deus e no Reino tem alguma conseqüência tanto no mundo natural quanto no mundo espiritual.
A autoridade de Deus é a vitória na guerra, pois se submeter à vontade de Deus, obedecer, consiste em tomar boas decisões, e na batalha boas decisões são fundamentais pois pelo contrário pode haver sérias conseqüências espirituais e físicas, podendo haver até morte.
As sementes do que faremos e do que somos já estão dentro de nós desde o ventre, e por isso é importante conhecermos o nosso espírito, como diz a palavra conhecer-nos a nós mesmos. Deus vai fazer com que eu seja manifesta no tempo Dele.
A primeira coisa que ocorre quando sou manifesta é a confrontação com o diabo, com o espírito de Ninrod, e se formos obedientes ao tempo de Deus, Ele só fará isto no tempo em que souber que somos capazes de sermos aprovados e prontos para o confronto.
Obs: o profeta deve cuidar de sua dieta , não só pelo que come, o quanto come, mais também com o que vê e com o que ouve, para que o Senhor possa usar todos os nossos sentidos físicos e espirituais.
A manifestação vem proporcionalmente à autoridade para a confrontação. Para enfrentar o diabo tenho que ter autoridade e caráter.
No princípio da semeadura e da colheita os frutos são sempre mais abundantes do que foi plantado, isto serve tanto para frutos bons quanto para frutos ruins.
É fácil reconhecer um ministério quando os frutos são aparentes, quando não sabemos, quando não vimos e quando os outros não vêem em nós é porque simplesmente não há frutos. O título vem depois da função na qual já manifesto os frutos, o título confirma algo que na prática já foi manifesto e isso só acontece quando estamos servindo ao Senhor, quando somos servos.
O fato de semear não significa que teremos bons frutos, como visto depene do terreno em que a semente cai. O diabo começa a atacar-nos quando os frutos começam a ser aparentes. Quando eu descubro a minha identidade eu tenho uma responsabilidade.
O terreno é nossa própria responsabilidade, o terreno é a nossa alma, e é onde se encontram as pedras, os espinhos.
Ex: David e Salomão receberam a mesma semente e os frutos foram completamente opostos.

  • Formas de trabalhar a minha alma, o meu terreno:
1- FIDELIDADE – a alma é trabalhada através da fidelidade. Aquele que é fiel no pouco é fiel no muito. Deus começa nos dando pouco, colocando-nos no pouco, e se enxergar em nós fidelidade com o que nos foi dado nos dá mais, nos coloca em posições mais altas.
A fidelidade está diretamente ligada as decisões que tomamos no nosso dia-a-dia. O Senhor está à procura de pessoas radicais que adorem a Ele em espírito e em verdade, em fidelidade. O quanto eu estou disposto a renunciar por um chamado de Deus, por isso é fundamental a maneira como recebo e de como transmito e evangelho.
2- AUTORIDADE – a autoridade é um revestimento, uma vestimenta, um manto, algo que nos cobre – Mt 21.23. A autoridade é conseguida de duas formas:
I – Impartição* – a autoridade nos é dada por alguém maior, mais na mesma proporção e intensidade daquilo que está sendo partilhado. a autoridade está relacionada com o terreno, com o caráter, a autoridade vem na medida do caráter e toda a autoridade vem de Deus.
II – Obediência – a obediência a Deus é fundamental para receber autoridade. Todas as vezes que damos um passo de fé que parece que não vai nos levar a lugar nenhum, estamos obedecendo sem muitas vezes entender, não podemos ficar da mesma forma, da mesma maneira e com a mesma autoridade, a autoridade está diretamente relacionada à obediência. Obedientes são aqueles que obedecem a Deus.
Obs: Covarde = desobediente. Valentes são aqueles que obedecem a Deus.
A autoridade está diretamente relacionada com a luz, quanto mais luz maior a autoridade. A luz traz entendimento. Uma vida de luz vem através da obediência!
LUZ = ENTENDIMENTO = OBEDIÊNCIA = AUTORIDADE
O enfoque hoje do evangelho está no coração das pessoas, mas a bíblia fala que aquilo que o homem pensa, é aquilo que ele é, o enfoque está no lugar errado. O evangelho tem que mudar a mente da pessoa, a palavra tem que entrar no meu espírito, abrir meu entendimento para que eu possa viver a palavra, para que esta transforme a minha maneira de pensar agir e até de falar.
A medida com que a luz entra, eu respondo com a obediência, e com isto o nível de autoridade vai aumentando em nossas vidas. A luz tem a ver com a forma com que nos conduzimos diante dos homens.
Obs: Deus só manda juízo porque ama seu povo, pois o juízo leva ao arrependimento que leva ao concerto.
O princípio da guerra está em naquilo que guerreamos, contra aqueles que lutamos, não sejamos pegos fazendo as mesmas coisas nas quais condenamos, temos que cuidar para o resto de nossas vidas e cuidar para que não sejamos condenados naquilo que aprovamos.
Ex: lutar contra Jezabel, espírito de sensualidade, sedução e manipulação, e atuarmos e agirmos da mesma maneira que este demônio; fazendo isto trazemos maldiçoes e até conseqüências físicas seriíssimas. Nunca poderei confrontar um espírito de vício e cair em vício.
Os meios pelos quais acontecem as batalhas e a forma de apresentar conta muito no processo de crescimento espiritual. Não podemos receber coisas sem saber de onde estas coisas vêm, ex: receber a unção de alguém que não conheço.
Seguir um ministério, cumprir a vontade de Deus exige de nós abrir mão de tudo.
A autoridade vem para nós através também de um exemplo, para que possamos ser exemplos, matrizes puras de revelação de autoridade. Ser exemplo é ser santo, ser puro, ser separado por Deus com um propósito. Minha vida é um farol de referencia para os outros.
3- AMOR – é na medida do amor que está o poder, que é diferente da autoridade, mas não separado dela.
A guerra que enfrentamos e lutamos, não é uma guerra de ódio contra os nossos inimigos, nós aborrecemos o mal e amamos as pessoas que estão presas a este mal.
At 3.21 – Todas as coisas foram restauradas, o Reino de Deus na Igreja.
As leis de Deus não podem ser mudadas. O Reino de Deus está diretamente ligado as leis que Ele nos deixou, que não podem se romper e nem serem rompidas e está diretamente relacionada à obediência imediata a Deus = caráter. Obediência tardia é desobediência.
Tanto Deus quanto o diabo sabem quem eu sou, não importa o meu título, vai chegar a hora em que eu não vou precisar fazer nada e o ambiente a minha vida vai começar a ser mudado somente pela autoridade e pelo poder que me foi dado através da minha obediência.

Nenhum comentário:

Postar um comentário